Thursday, June 25, 2009

Vício de mim

Apetece-me arrancar a aorta das tuas emoções e com aquele último esguicho arterial escrever "beija-me" em tons de raiva nas paredes do teu quarto.
Apetece-me inspirar a tua vida directamente da válvula semilunar, já exausta, do teu coração corrompido. Engasgar-me com o teu sangue. Morrer contigo.

O teu silêncio faz-me mal. A tua calma enfurece-me, a tua serenidade desperta este meu incontrolável instinto assassino. Quero que desesperes, que berres, que a tua vida aparentemente perfeita se torne caótica ao ponto de te enredares em todos os vícios: álcool, jogo, tabaco, droga, eu. Sim, eu; eu que sou absinto, Ás de copas, charuto cubano e a tua mais estimada droga alucinogénia num só corpo, consumível num só acto.
Fode-me. Fode-me porque a tua vida é fodida e porque ao foder-me ainda a estás a foder mais. E claro, a seguir...fode-me outra vez.
(E que recomece o ciclo...)

O teu mal faz-me bem, o desalinhamento do teu cabelo, as tuas olheiras profundas, o teu hálito alcoolizado, e até o teu choro bêbado, me comovem e me fazem querer abraçar-te para nunca mais te largar. Mantém-te assim, triste e perdido para mim, mantém-te meu e entrelaçado nas minhas pernas. Não queiras que mais ninguém se magooe.

2 comments:

Narcisa said...

Já te disse que adoro este texto? E que gosto ainda mais, por teres sido tu a escrevê-lo? Estás tão crescida... lol

Ainda te imagino com 3 anos a leres um livro para mim...e eu sem acreditar que tu já sabias ler..

Fui a correr para a sala para dizer aos avos e às nossas mães:

"A prima sabe ler!!!"

:)


Tu sabes o quanto gosto de ti.

Beijo

reideespadas said...

ola:)
quanto ao texto so posso dizer uou fantastico.