Wednesday, December 26, 2007

.

Mãos geladas.

Cabeça a ferver.

Coração embriagado, murcho, doente.

Alma afogada, desterrada, enclausurada.

Tudo coisas boas!

Que acontecem quando tu sabes que as pessoas que mais adoras, aqueles amigos pelos quais farias tudo, inclusivé dar a vida, nunca o fariam por ti, porque não têm nem metade, nem um terço sequer, do amor que tens por eles.

Sim, és amada pelos teus pais, pela tua família, podes até sê-lo por outros amigos, mas não são aqueles que interessam. A realidade pode ser horrível, mas as pessoas que realmente importam são poucas, são únicas e são parte de nós.

Muita gente fala de amor não correspondido, mas... e a amizade não correspondida? Dirão que não é amizade... Mas nesse caso eu não teria amigos, melhores amigos, amigos essenciais... e eu não gosto de pensar assim.

E sofre-se tanto, sofre-se tanto com essa sensação...
Porque te sentes só.

Só.

Eles estão lá, mas é como se não estivessem, porque vivem uns para os outros mas não para ti. Começas a notar quando se esquecem de te contar coisas importantes, ou quando ninguém fala contigo sobre encontros igualmente importantes. Ou quando te tratam com indiferença, ou quando és sempre tu a tirares as fotos, a ficares de fora do quadro da felicidade de ser amada e compreendida.

Sentes-te só.

E também te sentes mal, porque há outras pessoas que mereciam esse amor infinito e incondicional, mas simplesmente não consegues dar-lhes.
"Os amigos não se fazem, reconhecem-se."

Sentes-te mal.

Tentas fugir a esta certeza o máximo que podes, até que te dás por vencida.
Tu sabes.
Tu não és ignorante.
E o conhecimento é, na verdade, a fonte de todos os males.

Então decides agarrar outras pessoas, afastas-te das que mais amas e voltas a sofrer. E volta a doer. Sentes-te tão miserável que achas que o melhor é voltares para os teus mais que tudo, porque sem eles não és tu. Finges que está tudo bem e continuas com a tua vida...

Percebem agora porque é que eu quero mudança? Porque é que eu quero sair daqui? Porque é que eu quero não ter média pa entrar em medicina no Porto?
Eu adoro a minha cidade, a minha família e os meus amigos.
Mas eles não me adoram a mim.
E eu assim...


Assim nunca serei feliz.


E eu quero ser feliz...Quero tanto!

TANTO!!!

2 comments:

Mushroom said...

u have me...

:|

*

Ana said...

Mudança é tao bom...lol
Miga dsc a intromixao aki no blog, e não t preocupes, todos nos temos os nossos momentos de depressao, e obrigada por m teres dado apoio hj dps d mat!
Kiss* e gosto muito do que escreves!é escrito nakeles momentos em que a alma nos escorre pelo teclado e toma forma em palavras marteladas nele...eh eh ;)
Não se pode mentir ai!:P